Dos meus dias

Viver consiste em construir recordações futuras. (Ernesto Sábato)


Deixe um comentário

sem rumo

É assim o país. Em estado de letargia, ao sabor das marés, num vai e vem constante que não nos leva a lugar algum. Não vejo um projeto, um destino. Nada! E quando aqueles que acreditaram que valia a pena lutar por um outro Portugal perdem toda a esperança, pergunto-me, uma vez mais, onde é que isto vai parar?

Anúncios


Deixe um comentário

das (muitas) tretas da comunicação social

Ao contrário do que alguns meios de comunicação social, nomeadamente o Público e as televisões nacionais, noticiaram, no próximo ano os professores do Ensino Superior NÃO vão ver os seus salários aumentados, nem vão escapar aos cortes a que todos os outros servidores do Estado estão sujeitos. O que está em causa é a correcção de uma ilegalidade: há pessoas que após a conclusão dos seus Doutoramentos (e não só) assinaram contratos em novas categorias (se não o fizessem perderiam o seu posto de trabalho), mas mantiveram os salários da categoria inferior, apesar de terem de cumprir todas as exigência próprias da nova categoria. Pois é!  Ao contrário do que alguém quer fazer parecer, os professores do Ensino Superior não são uma classe privilegiada, não senhor.


Deixe um comentário

ainda o abandono do ensino superior

Primeiro o Ministro da Educação veio dizer que nada sabia sobre o aumento do abandono do ensino superior. Depois o Secretário de Estado disse que afinal, e embora não existissem dados oficias, os apelos da igreja sobre a questão deviam ser tidos em conta. Podem não ser oficiais, mas os números que vão surgindo são deveras preocupantes. E no meio de todo este problema, se coisas como esta são verdade, então, o cenário será bem pior do que aquele que imaginamos (ou queremos imaginar).