Dos meus dias

Viver consiste em construir recordações futuras. (Ernesto Sábato)

as patalogias de um doutorando

Deixe um comentário

Da mudança de casa (há pouco mais de 2 anos) resultaram uma série de caixas cheias de papéis que, à época, aterraram no escritório e nunca foram mexidas. Hoje, enquanto tentava por um bocado de ordem na tralha, resolvi abrir uma delas. Em vez de ver as coisas por atacado fui escrutinado detalhadamente folha a folha, questionando-me a cada uma se mais tarde não irei precisar dela. Ora, como vi que a coisa iria demorar demasiado tempo, e no final ainda ficaria com muito por arrumar, acabei por abandonar a ideia. (Antes disso ainda deitei fora os papéis de dois arquivadores e cheguei a meio da dita caixa.)
Logo a seguir olhei para a confusão em cima da secretária (que últimos tempos tem servido mais para despejo do que para trabalho) e fiquei a pensar se o problema é trabalhar com demasiados papéis ou se não estarei a acumular coisas que não servem para nada. E vieram-me à ideia as imagens de um programa que um destes dias vi num canal de cabo, que tenta ajudar pessoas com disposofobia.  Por agora, diga-se em meu favor que se circula por toda a casa sem problemas, que o quarto, a casa de banho e a cozinha continuam perfeitamente funcionais. Mas nunca se sabe. Como me disseram um destes dias, um doutoramento tem associados comportamentos perigosos.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s