Dos meus dias

Viver consiste em construir recordações futuras. (Ernesto Sábato)


1 Comentário

a minha pior amiga

À falta de uma dispensa para acabar o Doutoramento (porque no cenário actual tenho é de garantir que tenho serviço), um semestre um pouco mais aliviado seria óptimo para dar um avanço à coisa. A oportunidade estava no 1.º semestre do próximo ano, que não sendo lá muito folgado (só cadeiras novas, uma das quais não tem nada a ver com a minha formação) era o menos mau. Pois… Só que eu, que às vezes devia trincar a língua antes de falar, perante o desequilíbrio no dito semestre entre mim e a minha colega, acabei por fazer uma proposta que aumenta o meu serviço e me atira para mais uma área nova. Realmente, assim não preciso de inimigos.

Anúncios


Deixe um comentário

post com aspas #3

Privamo-nos para mantermos a nossa integridade, poupamos a nossa saúde, a nossa capacidade de gozar a vida, as nossas emoções, guardamo-nos para alguma coisa sem sequer sabermos o que essa coisa é. E este hábito de reprimirmos constantemente as nossas pulsões naturais é o que faz de nós seres tão refinados. Porque é que não nos embriagamos? Porque a vergonha e os transtornos das dores de cabeça fazem nascer um desprazer mais importante que o prazer da embriaguez. Porque é que não nos apaixonamos todos os meses de novo? Porque, por altura de cada separação, uma parte dos nossos corações fica desfeita. Assim, esforçamo-nos mais por evitar o sofrimento do que na busca do prazer. 

Sigmund Freud, in As palavras de Freud