Dos meus dias

Viver consiste em construir recordações futuras. (Ernesto Sábato)

o agridoce da vida

2 comentários

6 anos não estava a morar em Coimbra. Aliás, não me sentia a morar em lugar algum. Na mala do carro tinha sempre uma caixa com os livros e os papéis que achava mais importantes para trabalhar e dividia-me entre a casa da aldeia e um quarto alugado perto do trabalho. Mas passava mais tempo na estrada do que outra coisa. Conduzia alucinada de um lado para o outro na esperança de haver um lugar onde me sentisse bem e em paz comigo própria. Tudo o que consegui foram 11000 km em 4 meses. A paz ficou cada vez mais longe e eu própria também.

Anúncios

2 thoughts on “o agridoce da vida

  1. A paz não está num lugar, mas dentro de ti própria. Só tens de encontrá-la :))

    • Rosa, eu sei disso, mas naquela altura estava tudo muito baralhado. Mas já passou e hoje estou bem melhor comigo e com os outros :))
      Um abraço bem grande com muita paz.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s